As editoras

A Editora 7Letras iniciou suas atividades numa pequena livraria no Jardim Botânico, no Rio de Janeiro, no início dos anos 90. Pioneira no sistema de impressão por demanda, publicou diversos livros de poesia em pequenas tiragens em seus primeiros anos. Com o reconhecimento dos leitores e da crítica especializada, passou a expandir seu catálogo com obras literárias de outros gêneros, autores clássicos e publicações acadêmicas em diversas áreas — com destaque para Filosofia, História e Ciências Sociais –, e também com a criação das revistas literárias Inimigo Rumor (dedicada à poesia) e Ficções (de prosa), que ajudaram a revelar vários nomes importantes no cenário da literatura brasileira contemporânea.
http://www.7letras.com.br/

a margem é uma plataforma editorial, coordenada por léo e júpiter91, que trabalha as possibilidades dos fazeres manuais e da produção gráfica e experimental, questionando o papel formal da arquitetura e das artes plásticas; espaço de criação e experimentação; deslocamentos, subversões e recontextualizações através da palavra, da imagem e das subjetividades do fazer impressos que tencionam e se aventuram por uma escrita-delírio-não-criativa poética-política, e um fazer errático-curioso-inventivo para pensar e criar livros.
www.amargempress.com.br

Braço da Livraria e Centro Cultural Alpharrabio, com sede própria em Santo André (ABC Paulista) e atividade ininterrupta desde sua abertura, em 1992, trata-se de uma pequena editora, dirigida por Dalila Teles Veras e Luzia Maninha Teles Veras que se dedica, prioritariamente, a revelar e promover a literatura produzida por escritores residentes na região do Grande ABC – São Paulo, onde está sediada. Com quase 200 títulos em seu catálogo, uma boa parcela desse montante é composta por edições de cunho artesanal e artístico, com tiragens reduzidas. http://alpharrabio.com.br/

Baboon/Loplop: união coletiva sob a vigília da “poesia, amor e liberdade”. Através de publicações impressas cria campo de diálogo para o encontro poético em múltiplas linguagens: poemas, desenho, fotografia e collage. No catálogo: revista VIDRO (nov-2018), com ensaios, poemas, desenhos, collages e jogos poéticos; Edições Baboon, desde 2015 utilizando-se dos impressos como suporte para investigar as possibilidades imagéticas de texto com artes visuais; Edições 100/cabeças, iniciada em 2020 e irradiando títulos omissos – ou não publicados no Brasil – de autores ligados ao surrealismo, pensamento crítico, onírico e insurgente; e Ocultura, organizada pelo grupo surrealista DeCollage, a coleção traz livros transgressores desde 2007, de artistas do grupo e outros relacionados ao Movimento Surrealista Internacional. https://lojababoon.lojaintegrada.com.br/

Acreditamos na mudança por leves atos.O mais leve bater de asas da Borboleta Azul impacta em grandes mudanças.É o que a identidade do selo traz, baseada na teoria do caos e no diagrama de Lorenz, sua forma reflete o Efeito Borboleta, uma dependência das condições iniciais para os resultados finais, é valorizar cada detalhe, cada pequena mudança no percurso, reconhecendo seu potencial em causar grandes (e)feitos.A Borboleta Azul acredita e atua com produções independentes editoriais e gráficas. É um coletivo independente que está sempre aprendendo e crescendo, desde 2017.
https://borboletaazulselo.com/livraria/

A Capim-limão tem o objetivo de apresentar novos escritores para o público, visando a qualidade literária dos trabalhos. Seus processos são carregados de afeto, pois sabem que cada objeto artesanal possui sua especificidade. Enquanto encadernadores e editores, participam de feiras, oficinas e eventos no Sul de Minas. O principal objetivo é sensibilizar olhares e resgatar a importância do trabalho manual.
www.instagram.com/capimlimaolc

As Edições Chão da Feira publicam textos nos quais o desejo de ver, sentir, ler e escrever é também reafirmação de esperança política: o improvável existe, o desconhecido se espraia, o futuro lhes pertence e é inegociável.
Desacreditamos de qualquer fatalidade e participamos na afirmação de linhas de fuga do consenso através do que a ele resiste — os vagalumes, a vida menor. Editamos como quem planta.
www.chaodafeira.com

É um coletivo de poetas e editora independente que iniciou suas atividades em 2020. Seus primeiros títulos são: “balaclava”, de Beatriz Bastos; “castanheiras”, de Luiz Carlos Coelho de Oliveira e “o nativo ausente”, de Thiago Florencio. Os livros têm projeto gráfico, ilustrações e editoração de Amanda Costa.
https://coletivojanga.tumblr.com/

A Editora Córrego foi criada em 2013, como um desdobramento da atividade editorial da Revista Córrego, especializada em literatura brasileira contemporânea. A revista era uma publicação informal, de periodicidade semestral, mantida pelos editores Gabriel Kolyniak e Tomás Troster. Depois de dois anos de publicação da revista, os editores consideraram possível começar a apostar nas obras de alguns dos autores próximos à casa editorial. Entre as primeiras obras lançadas, estão os livros de poemas “Da casa à hospedaria”, de Gabriel Kolyniak, “La petite convenance”, de Juliana Abramides, “De assombros De sobressaltos De amores De Sustos”, de Osvaldo Rodrigues, e “Uma confissão na boca da noite, de Danilo Bueno”.
https://editoracorrego.minhalojanouol.com.br/

Corsário-Satã foi fundada em 2014. É uma editora underground de poesia, dirigida pelos poetas Fabiano Calixto e Natália Agra. A Corsário-Satã deu início aos seus trabalhos com a publicação do livro “Nominata morfina” (2014) de Fabiano Calixto. De lá para cá, publicou livros de poetas como, Manuel de Freitas, Inês Dias, Dirceu Villa, Cláudia Sehbe, Rodrigo Lobo Damasceno, Matheus Guménin Barreto, entre outros. A revista de poesia “Meteöro” (editada por Fabiano Calixto, Natália Agra, Rodrigo Lobo Damasceno e Tiago Pinheiro), cujo número de estreia foi publicado em 2019 e circulou bastante pela cena poética brasileira, é publicada pela Corsário-Satã – que publica também, e, desde 2019, o zine de poesia e artes “Despacho”.
https://corsario-sata.minestore.com.br/produtos

A Cousa é um ateliê editorial situado no Centro Histórico de Vitória. Temos em nosso catálogo uma amostra do que de melhor é produzido no Espírito Santo, além de autores de outros estados e países. Nossa sede funciona em um charmoso café na rua Gama Rosa.
https://cousa.minestore.com.br/produtos

A CULT é uma revista mensal voltada às áreas da arte, cultura, filosofia, literatura e ciências humanas. A publicação é conhecida por sua independência editorial – o que sempre a levou a tratar, em seus vinte anos de existência, de temas pouco explorados normalmente pelos mais variados veículos do jornalismo cultural.
https://www.cultloja.com.br/

A Dobradura Editorial foi criada para desenvolver selos e projetos editoriais com qualidade de conteúdo e design, que têm como proposta intervir no debate cultural e no momento histórico em que vivemos, de modo crítico e original. Formada por profissionais com reconhecida experiência no mercado, nosso trabalho se pauta pelo compromisso social com a difusão do conhecimento, da arte e das ideias, em suas diversas formas de expressão, do livro impresso ao virtual, em periódicos ou conferências, sites ou fanzines. Mais que objeto de consumo e entretenimento, consideramos o livro – essência de nossa produção – um elemento decisivo da civilização e traço inequívoco daquilo que a humanidade pode construir de melhor para seu entendimento, sua identidade e memória.
http://www.dobraduraeditorial.com.br/

Fundada em 2009, a Dublinense nasceu com o objetivo de se permitir experimentar e navegar nos diversos gêneros, especialmente a poesia. Gostamos de publicar obras que conversem com temas importantes do nosso tempo, através de vozes de diferentes partes do mundo e da nova literatura nacional. Livros bons, divertidos, emocionantes e relevantes.
https://dublinense.com.br/

Somos Editacuja, nos materializamos nos projetos que abraçamos, fluímos no compasso do tempo e dos espaços que descobrimos, renascemos com as histórias que experimentamos, inventamos táticas educacionais e editoriais para inspirar transformações reais. Para nós, a edição é a lapidação da obra autoral, um processo que potencializa linguagens e narrativas com elementos que evidenciam as ideias que querem ser compartilhadas.
https://editacuja.com.br/

A É selo de língua existe desde 2014 experimentando as liberdades da linguagem. As edições vão de livros de autor (não restritos à literatura) até a afirmação da palavra em outras artes. Somado às publicações, a É produziu ainda o programa de áudio BOCA BOCA e mais recentemente, ALIVE, transmissões realizadas ao vivo pela internet.
https://bax-uva.github.io/loja-E/

Fundada em 1992 com o lançamento de “O que é a filosofia?”, de Gilles Deleuze e Félix Guattari, a Editora 34 possui hoje mais de 600 títulos em seu catálogo, que abrange as áreas de Ficção, Filosofia, Arte, Teoria Literária, Ciências Sociais, História, Psicologia e Psicanálise, Economia, Música, Poesia e Literatura Infanto-Juvenil, combinando textos clássicos e de referência com obras de ponta sobre temas contemporâneos. Ao lado de nomes fundamentais como Dante, Cervantes e Goethe, e de grandes escritores do século XX, como Kafka e Brecht, a Editora 34 mantém uma linha voltada para autores brasileiros, novos e consagrados, tanto na prosa como na poesia.
https://www.editora34.com.br/

A Figura de Linguagem é uma editora negra e independente, com sede em Porto Alegre. É uma nano-empresa com um corpo diretivo inteiramente formado por indivíduos negros e que tem uma proposta de cotas para autores racializados como brancos.
http://www.editorafiguradelinguagem.com/

zDesde 2016, a garupa atua nas frentes impressa, digital e na elaboração de eventos ao redor da publicação independente de poesia contemporânea brasileira. Mantém uma revista digital que opera por meio de chamadas abertas e, em suas nove edições, disponibilizou em copyleft poesia em diferentes formatos (vídeo, imagem, áudio e em texto) de autores de todos os estados do país; um selo editorial, com cerca de 30 livros publicados; e promoveu eventos como o bloco de carnaval Senta da Garupa (A MESA), a Feira no Cobogó (IMS-RJ), e a Feira Cardume (MAR).
https://www.leiagarupa.com/catalogo

Inutensílios Poéticos surgiu como um desdobramento dos trabalhos de poesia escrita de Gab Marcondes. São versos, palavras, poemas impressos em diversos suportes, desde as páginas de um livro até objetos inusitados como uma ratoeira ou um espelho. A editora já participou de diversas feiras de publicações independentes entre elas Feira Tijuana, Feira Urca no Atelie da Imagem, Feira d’Alfândega na Casa França Brasil, Feira LER no salão carioca de leitura entre outras.
www.inutensiliospoeticos.com

Edições Jabuticaba é uma pequena editora voltada para a boa literatura. Floresce interessada em divulgar novos autores e a traduzir poetas e prosadores clássicos e contemporâneos que gostaríamos de ver em circulação no Brasil. Nossos livros são feitos com carinho, capricho e auxílio dos estúdios HF de Gravura, da artista plástica Helena Freddi. Compre um, compre dois, compre três livros ou visite nosso blog. Não hesite em nos dizer o que achou do nosso trabalho ou em sugerir outros autores. Assim cuidado, o fruto promete fino sabor.
https://www.edicoesjabuticaba.com.br/

Fundada em dezembro de 2012, a Lote 42 aposta na qualidade na edição. O ritmo de lançamentos parcimonioso permite um cuidado em diversos aspectos do livro, do conteúdo ao projeto gráfico. A editora tem em seu atual catálogo livros como Triste (Rafael Sica), Bibi (Gustavo Piqueira), A Mão do Pintor (Maria Luque), Um Caso Liquidado: memórias e desvarios de um poeta inacabado (Sebastião Nunes) e Guia Fantástico de São Paulo (Ángela León). A editora é a responsável pelos espaços de publicações independentes Sala Tatuí e Banca Tatuí.
http://lote42.com.br

A Macondo foi fundada em 2014, em Juiz de Fora, e desde então se dedica a publicar livros de poetas vivos que escrevem em português.
Nosso catálogo, composto quase exclusivamente de poesia contemporânea, traz nomes como Natasha Felix, Adelaide Ivánova, Ana Guadalupe, Mônica de Aquino, Prisca Agustoni, Tatiana Faia e Cláudia R. Sampaio. No final de 2020, publicamos o primeiro romance da editora, o livro Um corpo à deriva, de Edimilson de Almeida Pereira.
https://edicoesmacondo.minestore.com.br

O selo editorial Malha Fina Cartonera foi fundado em 2015 na universidade de são paulo. seu catálogo conta com 21 títulos publicados. desenvolvemos duas linhas editoriais: uma dedicada à tradução de poesia e ensaio hispano-americanos, com foco nos autores do caribe, inéditos em português, e outra para a publicação de poesia e narrativa brasileiras contemporânea. como desdobramento digital do projeto, em 2020 fundamos o laboratório de tradução malha fina cartonera, com o objetivo de publicar e-books.
https://www.labtradmfc.com.br/

“A martelo é uma casa editorial sediada em Goiânia, atual capital do estado de Goiás fundada em 1933 como parte de um pré-projeto de “recolonização” do interior do Brasil.
Editamos poesia e ensaios em ciências humanos e, a partir de 2021, começam a sair os primeiros títulos de prosa. Quase toda a produção de poesia se concentra na “coleção cabeça de poeta”, dividida em séries. A “série contemporânea” publica poesia brasileira dos séculos 20 e 21.”
https://livrariamartelo.minhalojanouol.com.br/

Mocho designa um grupo de aves de rapina de hábitos noturnos, voo silencioso, audição aguçada e visão circular, cuja potência, ao contrário do que muitos acreditam, não é maior após o crepúsculo. Durante o dia, esses animais costumam se refugiar em folhagens densas, reentrâncias de penhascos, rochas e rachaduras de troncos, mas também podem ser notados em áreas urbanas. Ao perceber alguma presença estranha, vocalizam e assumem postura de alerta. Suas orelhas deslocam-se uma em direção à outra, permitindo detectar a origem dos sons emitidos. Todas essas habilidades tornam a ave especialista em caça de surpresa.
https://www.mochoedicoes.com.br/loja

A Moinhos foi fundada em 2016, por Camila Araujo e Nathan Matos. A ideia era promover mais livros de autores iniciantes ou não, de autores nacionais e estrangeiros, de publicar obras inéditas e reeditar outras. Aos poucos, montamos um catálogo baseado, no início, em livros de poesia e conto, apostando em autores nacionais e estrangeiros, dando foco na poesia portuguesa também. Com o passar do tempo, conseguimos inserir outras obras estrangeiras, de língua hispânica em especial, no sentido de nos aproximarmos da literatura contemporânea latinoamericana e demais países de língua hispânica.
https://www.editoramoinhos.com.br/livraria

Fundada em 2017, a Munganga Edições é uma microeditora independente situada no Nordeste brasileiro, na cidade de Natal/RN, que tem como proposta editorial re(disponibilizar) aos leitores autores e obras pouco conhecidos, em pequenas tiragens artesanais. Nosso carro-chefe é a publicação de poesia, principalmente de autores em domínio público.
https://mungangaedicoes.blogspot.com/p/publicacoes.html

EU é feito de inúmeras possibilidades de outros; uma voz é sempre muitas. Desde sua etimologia, que se inicia com o pronome pessoal latino nos, há essa imagem: “yo y los que conmigo se asocian, nosotros”. A nosotros, funda-se nessa ideia, a seis mãos e inúmeras vozes, para publicar, principalmente, dramaturgia, poesia e tradução produzidas por latinx-americanxs vivxs.
https://nosotroseditorial.com/loja/

Micro editora voltada a humanidades e literatura. Caminhos abertos desde
setembro de 2019.
http://www.oficiosterrestres.com.br/

A Editora Primata tem como principal objetivo a difusão da literatura brasileira contemporânea, através da edição e venda de livros de poesia, prosa e crítica literária. O projeto foi inaugurado em 2016, pelos mesmos idealizadores do portal de literatura Poesia Primata.
http://www.editoraprimata.com/

Criada em 2013 por Bruno Zeni e Sílvia e Nastari, a Editora Quelônio tem como proposta a publicação de livros de literatura brasileira contemporânea, tanto em prosa como em poesia. As obras têm tiragem limitada, em formatos especiais. Projetos gráficos específicos são desenvolvidos para cada livro, com atenção especial ao diálogo entre imagem e texto, entre suporte material e concepção poética e narrativa. A editora também conta com um ateliê tipográfico e maquinário antigo para acabamentos especiais e impressões tipográficas.
https://www.quelonio.com.br/

Criada em 2006, a Oficina Raquel começou a sua trajetória como uma editora artesanal que publicava poetas estreantes. Durante seus primeiros anos de atuação na cena literária carioca, organizava lançamentos e saraus em bares, centros culturais e livrarias independentes, descobrindo nomes da poesia brasileira.  Com o lema “Mais que livro, literatura”, a Oficina possui um catálogo com muita atenção à dimensão política do pensar. Trata-se de uma editora a favor da liberdade e da garantia dos direitos democráticos, e que entende o espaço privilegiado de atenção à linguagem como componente do que entendemos como humanidades.
http://www.oficinaraquel.com.br 

A Editora Reformatório tem como proposta o cuidado com suas edições e o compromisso com a liberdade de seus leitores e autores na publicação da literatura brasileira contemporânea. Fundada em 2013, a editora conta hoje com dois selos literários: Editora Reformatório (ficção: prosa e poesia) e Selo Pasavento (voltado a publicação de não-ficção). Entre os dois selos, são 98 livros publicados de 83 autores diferentes desde então. Alguns de nossos títulos já foram traduzidos e (publicados) para o Alemão, Inglês e Árabe.
http://www.reformatorio.com.br

Fundada em 2013 pela editora mineira Maíra Nassif, a Relicário Edições publica livros de literatura (sobretudo poesia e romance), ensaios, filosofia, arte, teoria e crítica literária e afins. Escritas por mãos humanas, acreditamos que as palavras são fruto de um amálgama de sentidos, percepções e afetos – muitas delas palavras-relíquias, signos carregados de aura, rastros de tempo.
https://www.relicarioedicoes.com/

ParaLeLo13S é o selo editorial da livraria boto-cor-de-rosa, projeto que atua em Salvador desde 2015 e tem como foco a literatura contemporânea. Trabalhando sempre a partir de uma linha curatorial e com um acervo de publicações de diversas editoras brasileiras, a livraria existe de forma itinerante em feiras e espaços coletivos e agora na pandemia, de forma virtual. Vinculado à Boto, o selo Paralelo13S iniciou suas publicações em 2017, tendo editado, até o momento, 11 livros, incluindo poesia, contos, crônicas, literatura infantil, e ensaios críticos.
https://www.livrariabotocorderosa.com/loja

A Sol Negro Edições é uma editora sediada em Natal-RN, que edita livros artesanais em pequenas tiragens. Numa época em que a Grande Ilusão Conceitual dos meios de comunicação e o simulacro da imagem espe(ta)cular acreditam pautar toda a vida social e mesmo os desvãos do pensamento mais íntimo, a Sol Negro surge do mais puro sonho e força imaginária a favor do desejo: editar livros com qualidade literária e gráfica, de maneira acessível e independente, abordando assuntos, autores e visões que estejam à margem dos interesses representados pelas grandes editoras e conglomerados de informação. Arte paga com arte.
http://solnegroeditora.blogspot.com/

A editora Urutau nasceu para cantar as horas diante das páginas, e, sabendo que o livro é carne e alma, fazemos dos livros pratos para serem devorados antropofagicamente. Com cerca de 250 títulos em seus catálogos, temos autores e autoras do Brasil, Portugal, Galiza, Moçambique, Cabo Verde compondo nosso canto. Nossas linhas principais são poesia, novela, contos, artes visuais e política.
https://editoraurutau.com.br/livros

Vindouros é uma pequena editora caseira fundada em 2016 e orientada para publicações literárias de autores emergentes. Voltada a princípio para métodos de produção artesanal, recentemente ampliamos nosso campo de atuação para contemplar também formatos digitais, procurando encontrar um novo equilíbrio entre as extremidades do trabalho editorial. Nosso site está sendo atualizado continuamente para refletir esta nova etapa da editora. Acreditamos no potencial do trabalho em rede e nesse sentido abrimos espaço para divulgar projetos em que nos engajamos colaborativamente com demais editoras e coletivos, e que ultrapassam o escopo estrito da editora.
https://vindouros.com.br/livros/